Município de Viseu entrega 64 mil euros para apoio ao Cantinho dos Animais

Autarquia renova apoio à associação para acolhimento e tratamento de animais abandonados

O Município de Viseu renovou o protocolo com o Cantinho dos Animais Abandonados, na freguesia de Rio de Loba, com vista ao acolhimento de animais abandonados – nas instalações da associação– recolhidos pelos serviços municipais no espaço público. O apoio financeiro é de 60 mil euros.

O ato público de assinatura contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, do Vereador João Paulo Gouveia, e da responsável da associação, Ana Vaz Pereira.

“Viseu quer continuar a ser um Município amigo dos animais, aproveitando uma instituição da sociedade civil que faz um trabalho que toda a gente conhece. No 'Cantinho' nunca se abateram animais, há uma política muito ativa de adoção”, salienta o Presidente da Câmara, que defende a continuidade de uma política concertada na proteção dos animais.  

Nos últimos três anos, o número de animais capturados e recolhidos tem aumentado significativamente, assim como o aumento das queixas e pedidos junto dos serviços municipais. Em 2015, foram entregues ao Cantinho, pelo Município, 550 animais; em 2016, o número cresce para 700 e, no ano passado, para 750, sendo que, deste universo, não são contabilizados os animais que são entregues diretamente por outras pessoas ou que são deixados perto da associação.

“Perante estes dados não podemos ignorar os números. Além da proteção dos animais, que valorizo, não recolher e capturar estes animais seria um perigo para a saúde pública e segurança dos munícipes e dos seus animais”, sublinhou o autarca.

Um segundo protocolo foi ainda celebrado neste ato público, no apoio à esterilização de gatos, tendo em vista atuar ao nível das colónias existentes no concelho. Neste sentido, a instituição adota o método CED, que diz respeito à captura, esterilização e devolução dos animais, numa atitude preventiva. O protocolo, que dura há já quatro anos, é renovado com a atribuição de uma tranche de 4 mil euros, tendo em vista a intervenção média em 120 animais.  

O papel da comunidade nesta estratégia preventiva será de especial importância, nomeadamente na responsabilidade da alimentação dos animais e limpeza dos espaços onde estes se encontram, para que, desta forma, os animais recolhidos e tratados possam ser devolvidos aos espaços públicos, depois de desparasitados e identificados eletronicamente

Em 2019, o apoio ao Cantinhos dos Animais subirá para 70 mil euros, ficando novamente a cargo da autarquia o encaminhamento dos cadáveres dos animais. “Há tarefas das quais o Município não abrirá mão. Não abdicamos do veterinário municipal, da recolha de animais na via pública e da quarentena para os animais recolhidos”, reassegurou Almeida Henriques.

O Presidente da Câmara recuperou neste ato público o tema da política intermunicipal de adoção de animais, reforçando a necessidade de contagiar os concelhos vizinhos para a adoção de boas práticas na matéria da proteção animal, lembrando que há municípios que “dificilmente conseguirão suportar os custos das centenas de animais resgatados, e do cumprimento da lei de não abate, se não houver uma política de promoção da adoção”, concluiu Almeida Henriques.