Município de Viseu avança com novo modelo de mobilidade no concelho

 

MUV terá novas linhas de transporte público e “transporte a pedido” em freguesias de baixa densidade 

O Município de Viseu aprovou a 22 de outubro o lançamento do concurso internacional para a nova rede de transportes públicos no concelho, batizada com a nova marca “MUV - Mobilidade Urbana de Viseu”.

O concurso aplica-se à concessão dos serviços de transportes públicos no concelho, para 10 anos e prevê um investimento global máximo de 8 milhões de euros.

A concessão inclui a exploração de 20 linhas concelhias da rede atual, mas apresenta diversas novidades tendo em vista reforçar a “mobilidade para todos”, com maior eficiência e menos custos para o Município, os utilizadores e o Ambiente.

Uma das principais inovações reside na criação de um serviço de “Transporte a Pedido” para as freguesias de baixa densidade populacional de Viseu: Côta, Calde, Barreiros e Cepões, Cavernães, Ribafeita e São Pedro de France. Quatro passageiros poderão, assim, agendar um serviço de transporte público durante os dias de semana ou fim-de-semana, em horário diurno ou noturno, com um preço máximo correspondente a um bilhete acrescido de 50%.

A nova rede de transportes públicos de Viseu prevê ainda a criação de uma nova linha concelhia, atualmente inexistente, entre a cidade de Viseu e Silgueiros, servindo as localidades de Silgueiros e Casal Meão.

“Serão boas notícias para as freguesias periféricas à cidade”, acredita o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, para quem este investimento reforça em muito a coesão local e as condições de atratividade e qualidade de vida do concelho.

A nova rede de serviços de transporte prevê também a criação de dois novos circuitos urbanos, que ligam os principais pontos de utilização coletiva (centros de comércio, ensino superior, …) e o centro da cidade. Estes dois circuitos serão servidos por 6 autocarros com frequência de 20 min.

A exploração da linha azul no Centro Histórico, com autocarros elétricos novos e com a possibilidade de paragens “a pedido”, é outra das novidades.

O sistema incluirá também totens de informação aos utilizadores, em pontos estratégicos, melhorando assim a orientação dos utilizadores.

Já o Funicular assumirá uma vocação de cariz turístico e de mobilidade em dias e eventos especiais, deixando o seu modo de funcionamento diário.

A nova rede de transportes públicos municipal é o primeiro passo para a implementação do novo modelo de mobilidade local MUV.

O novo sistema visa aumentar a mobilidade das pessoas no tecido urbano e entre a cidade a as suas periferias, mas também a eficiência, a economia e sustentabilidade ambiental e energética dos diversos modos de transporte.

Além da rede de transportes públicos, o MUV contemplará uma rede urbana de ciclovias, uma rede de parques de estacionamento com gestão integrada, a Central de Mobilidade no atual Centro Municipal de Transportes e introduz meios de transporte “a pedido” e um novo sistema de bilhética e informação mais simples e amigo do utilizador.

“Será uma revolução tranquila e gradual, mas com reflexos importantes na qualidade de vida para todos”, acredita Almeida Henriques.