Obras Sociais vão gerir creche na Vissaium XXI

José Carreira, que vai liderar instituição até 2023, agradeceu apoio incondicional do Município. Órgãos sociais foram empossados no Salão Nobre dos Paços do Concelho

O Salão Nobre dos Paços do Concelho foi palco esta quarta-feira, 29 de janeiro, da cerimónia de posse dos órgãos socias das Obras Sociais do Pessoal da Câmara Municipal e Serviços Municipalizados de Viseu, para o quadriénio 2020-2023.

José Carreira, que continuará à frente desta instituição por mais 4 anos, aproveitou a ocasião para agradecer o apoio, “desde o primeiro minuto”, do Município, afirmando mesmo que “se não fosse esse apoio, provavelmente já não existiam as Obras Sociais”.

“Este apoio de proximidade deu-nos estabilidade e uma motivação extra para desenvolver projetos como o Centro de Apoio ao Alzheimer de Viseu ou o CLDS 3G”, salientou.

Já o Presidente da Câmara Municipal, António Almeida Henriques, colocou a tónica da sua intervenção no desafio lançado às Obras Sociais, que passa pela gestão da creche a ser criada no edifício da Vissaium XXI, para responder às necessidades das empresas tecnológicas aí instaladas, e que funcionará 24 horas por dia.

O autarca congratulou-se com o facto de as Obras Sociais “estarem a crescer no apoio a infância”, sinal do crescimento da população no concelho, não apenas por via do aumento da natalidade, mas também pelo aumento do número de imigrantes, que se estima serem já cerca de 5 mil em Viseu.

Almeida Henriques reconheceu, por outro lado, que os responsáveis da instituição não tiveram um mandato fácil nos últimos 4 anos, apesar da “retaguarda protegida” por parte do Município.

“Os últimos anos foram complexos e difíceis para as Obras Sociais, tal como aconteceu com todo o terceiro setor. Muitas vezes, o Estado Central não valoriza estas instituições que vão respondendo, na proximidade, aos problemas das pessoas”, constatou.

Sublinhando que Viseu é “um concelho solidário”, com quase 100 instituições a trabalhar na área social, o Presidente da Câmara desejou “quatro anos muito bons” aos órgãos sociais empossados.

Para este novo mandato, os responsáveis das Obras Sociais pretendem robustecer a sustentabilidade financeira; modernizar a comunicação e imagem; reforçar a aposta na captação de novos sócios; melhorar as qualificações dos colaboradores; robustecer as respostas sociais existentes; potenciar projetos e apostar no reforço e formação do voluntariado.