Academia do Linho regressa esta sexta-feira para nova fase do ciclo

“Semear” é a próxima etapa do projeto

Na próxima sexta-feira, dia 12 de abril, a Academia do Linho de Várzea de Calde regressa para uma nova fase do ciclo: Semear.

Nesta 4ª atividade, que decorrerá durante todo o dia, os pequenos participantes da Academia vão aprender como se semeia o linho e participar em diversos ateliês.

As inscrições podem ser realizadas online, em www.academiadolinho.pt, ou presencialmente, no Museu do Linho de Várzea de Calde.

Neste regresso ao mundo rural, depois de já terem experimentado “Maçar e Tascar”, “Assedar e Fiar” e “Urdir e Tecer”, os petizes da Academia vão aprender a “Semear”, que é a primeira fase do ciclo, que começa com a sementeira, por altura da primavera.

Nesta fase, a linhaça é lançada à terra em movimentos circulares e em várias direções cruzadas nos campos de cultivo. Em Várzea de Calde, a tradição manda, ainda, que seja lançada cinza de lenha em todo o campo, para melhor ajudar ao desenvolvimento da planta. A terra é, depois, aplanada e são feitos os regos para a posterior rega do linho.

A inscrição nesta etapa tem o custo de 10 euros, valor que inclui o seguro, o kit de participante, os materiais essenciais à atividade, o transporte e ainda as refeições.

Para efetuar a inscrição do seu petiz, deverá conhecer as normas de participação da atividade, disponíveis no site, preencher o respetivo formulário e declaração de responsabilidade de menor, e submeter ou anexar os documentos necessários. Posteriormente, será contactado para a respetiva confirmação da inscrição, assim como o procedimento para o respetivo pagamento.

Conhecer de perto a arte ancestral do linho e participar deste ciclo anual, vestindo a pele de repórter, investigador e agricultor, é o desafio que a Academia do Linho de Várzea de Calde coloca aos mais pequenos, em pleno mundo rural.

A iniciativa é promovida pela Cooperativa do Linho de Várzea de Calde, o Grupo Etnográfico local e as Escolas Superior de Educação e Agrária de Viseu, contando com a parceria e o apoio do Município de Viseu e do seu Museu do Linho de Várzea de Calde. As ações educativas têm financiamento ao abrigo da linha “Revitalizar”, do programa municipal VISEU CULTURA.