Formulários

Comboio Turístico de Viseu


Períodos de Circulação: Páscoa, Primavera/Verão e Natal

dias úteis: 14h30 / 15h30 / 16h30 

(manhã: só por marcação prévia de grupos (mínimo de 20 pessoas) – 10h00 / 11h00)

Sábados, domingos e feriados– 15h00 / 16h00 / 17h00

 

Circuito:

Rossio - Av. 25 de Abril - Rua Gaspar Barreiros - Rua Dr. António Alves Martins  - Rua 5 de Outubro - Circunvalação  - Fontelo  - Av. Eng. Fuschini - Circunvalação   - Rotunda Cibernética - Av. Capitão Homem Ribeiro - Cava de Viriato - Av. Emídio Navarro - Av. Capitão Silva Pereira  - Rua Alexandre Lobo - Rua do Comércio - Praça D. Duarte - Largo da Misericórdia - Largo Pintor Gata - Rua Nunes Carvalho - Rossio

 

Preçário:
Público em geral: 3€
Crianças até 3 anos: grátis
Crianças dos 4 aos 10 anos: 1,5 €
Grupos com marcação prévia:
Pertencentes ao Concelho de Viseu: 1,5€ p/ pessoa
Não pertencentes ao Concelho de Viseu: 3€ p/ pessoa 

Contacto para marcações: Este endereçod e email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Charrete Turística

Percursos Equestres em Viseu

 

Câmara Municipal de Viseu, Igreja dos Terceiros, Antigo Hospital de Viseu (Pousada Pestana), Seminário Maior, Largo de Santa Cristina (Fontes e Casa Amarela), Igreja do Carmo, Rua Alexandre Lobo, Solar dos Condes de Prime, Rua do Comércio, Praça D. Duarte, Sé de Viseu, Igreja da Misericórdia, Largo Pintor Gata, Porta do Soar, capela de S. Sebastião Rossio.

Funcionamento no Verão:

 

Manhã – 10h00 / 12h00
Tarde – 14h30 / 15h30

Preçário:

 

Adultos: 5€
Crianças: 3,5€

Contacto para marcações:

Catarina Andrade (91 823 45 33)

(Desconto para portadores que Cartões Municipais)

Nota : Para além de circular no Verão a Charrete circula ainda noutras épocas do ano com horários distintos, mediante a ocasião:

 

- Natal;
- Dia dos Namorados;
- Carnaval;- Páscoa;
- Dia dos Monumentos e Sítios;
- Noite dos Museus;
- Outras alturas justificativas.

Funicular de Viseu

 

O Funicular de Viseu, transporte não poluente, gratuito, liga a zona ribeirinha da cidade ao centro histórico.


Pensado e criado com o intuito de “encher de vida o centro histórico”, diminuindo o tráfego automóvel e aumentando a circulação pedonal, este novo meio de transporte, que proporciona uma paisagem única, pode ser complementado pelos mini-autocarros eléctricos, que circulam por toda a cidade, ou optar um excelente passeio a pé na “zona nobre” da cidade.

Horário de Funcionamento: Saídas de 15 em 15 minutos/ Saídas de 30 em 30 minutos.

08h30
08h45
09h00
09h15
09h45
10h15
10h45
11h15
11h45
12h15
12h30
12h45
13h00
13h15
13h30
13h45
14h00
14h15
14h30
15h00
15h30
16h00
16h30
17h00
17h30
18h00
18h30
19h00
19h15
19h30
19h45
20h00

Preço: Gratuito

Percurso Contemporâneo

  • O Maratonista
  • Rosto do Fado
  • Porta de Viriato
  • Quatro Elementos
  • Túnel de Viriato
  • Campo de Viriato
  • Mercado 2 de Maio
  • Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva
  • Solar do Vinho do Dão
  • Viriato Teatro Municipal

 
Nome: O Maratonista
Descrição: Uma homenagem a Carlos Lopes, recordista olímpico e filho da terra, que brilhava pela sua rapidez. Mas o significado da obra extravasa esse sentido restrito, simboliza a força, a vontade, a determinação. A garra que cada um de nós necessita no dia a dia para atingir metas, como se estivéssemos numa verdadeira maratona. A estátua granítica de 10 metros de altura traduz a ideia de chegada à meta. A estátua localiza-se em cima de um pódio «separados de um elemento volumétrico contínuo e irregular, querendo simbolizar a relação entre os medos, as inseguranças e as expectativas, e o ruído da água caindo nos degraus laterais, o ruído dos aplausos, alimento desses grandes feitos», descreve Luís Queimadela, o escultor/autor da obra. «Na projeção aérea observa-se o buraco de uma fechadura cuja chave é o Maratonista. Aqui começa a mensagem. A chave do mistério. O segredo, que levou a fazer de Carlos Lopes esse campeão».
Localização:

Praça Carlos Lopes, rotunda de ligação que entrecruza Vildemoinhos (direção Figueiró IP5), Avenida Cidade de Aveiro e Avenida Almirante Afonso Cerqueira.

 
Nome: Rosto do Fado
Descrição: «Rosto do Fado» é um tributo a José Augusto Hilário, um dos rostos do fado (de Coimbra), nascido em Viseu. O frontispício da obra está virado para quem entra pelo Sátão, e tem como cenário de fundo, a zona histórica da cidade – berço de Hilário. Apesar dos 3,5 metros de altura e os 3 metros de largura, a obra deve ser observada com alguma proximidade. Só assim se percebem os traços, as típicas guitarras portuguesas com os braços a escorrer e os xailes, na retaguarda, como explica Xico Lucena, o autor da obra.
Localização:

Numa das rotundas de saída da cidade, que liga a circunvalação, a Rua do Arco e a E.N. 229 (Sátão).

 
Nome: Porta de Viriato
Descrição:

Autoria de Manuel Patinha, a escultura visa perpetuar a figura de Viriato e a sua história. Nessa perspetiva, o arco triunfal como símbolo das suas vitórias e feitos. Há quem caracterize a parte oval como a Acrópole, representando, as formas envolventes o desenvolvimento das cidades ou o desenvolvimento das mentalidades.

Localização:

Implantada na rotunda de ligação da circunvalação, rua das Pedras Alçadas e E.N. 231 (Nelas).

 
Nome: Quatro Elementos
Descrição:

«A preferência pela associação do elemento água ao granito na execução da obra originou a ideia de criar uma obra escultórica representativa dos quatro elementos fundamentais (água, terra, fogo e ar), os quais, por sua vez, ligados aos pontos cardiais. A escultura é constituída por quatro lados simétricos; cada um simboliza um elemento fundamental que está voltado para o respetivo ponto cardeal. A figura orgânica instalada na parte central superior da obra representa a formação da vida a partir dos quatro elementos fundamentais e é completada pela corrente vital da água», descreve o autor Matthias Contzen.

Localização:

Rotunda que entrecruza a circunvalação (Rua cidade S. Filipe) e a rua Estêvão Lopes Morago.

 
Nome: Túnel de Viriato
Descrição:

Inaugurado no dia 23 de Julho de 2004, o Túnel de Viriato, é mais do que um contributo para o ordenamento do trânsito automóvel. A infraestrutura devolve aos cidadãos espaços próprios. A Cava de Viriato sobressai, abrem-se outras perspetivas sobre o terreiro da Feira de S. Mateus e a colina da Sé. Uma requalificação que visa, sobretudo, a valorização ambiental e a qualidade de vida de todos os viseenses.

 
Nome: Campo de Viriato
Descrição:

O novo Espaço Público do Campo Viriato, após uma notória requalificação urbana e de valorização ambiental pelo Arq. Manuel Salgado, trata-se de uma vasta área ampla e vocacionada para uso pedonal, um espaço de lazer, de convívio e  animação, preparado para a realização de grandes eventos desportivos, musicais, culturais, entre outros…De destacar a já famosa e centenária Feira de S. Mateus, cabeça de cartaz deste espaço que se quer vivo, dinâmico e multi-funcional.

 
Nome: Mercado 2 de Maio
Descrição:

Viseu tem o seu património edificado e cultural mais rico. Do antigo Mercado municipal, surgiu um novo espaço urbano que mantém um diálogo estético com o rossio, o Mercado 2 de Maio. Idealizado pelo Arq. Siza Vieira, esta Praça dá lugar a diversas Feiras e Espetáculos realizados na cidade, assim como a inúmeras esplanadas que nas noites de Verão enchem a cidade e toda a zona histórica de vida e movimento. Um espaço cultural e de lazer, situado no centro histórico da cidade. «A rua é a casa de todos» e são projetos como este que reforçam o orgulho de ser Viseense ou de estar em Viseu!

 
Nome: Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva
Descrição:

Mais do que a singularidade de um edifício já de si carregado de significado urbano como é a biblioteca pública, o projeto da Biblioteca de Viseu procura antes criar um facto urbano. Um lugar que se espera que venha a ter a devida representação no espírito do cidadão comum. Um ponto de referência. O edifício tem duas áreas exteriores distintas: uma área pública, espécie de praça empedrada a granito, por onde se entra no interior da biblioteca e uma privada, ajardinada e reservada aos utentes da biblioteca. No seu interior, separa a partir do átrio de entrada, que é de certo modo o prolongamento da praça pública, a biblioteca das crianças da dos adultos, cada uma delas com os atributos ambientais próprios: escala, pé direito, mobiliário, luz, relação com o exterior, entre outras. Trata-se de um local onde a ambiência, a cultura e o convívio se completam. A relevância que o município tem prestado ao património construído estende-se ao edificado contemporâneo.

 
Nome: Solar do Vinho do Dão (Paço do Fontelo)
Descrição:

O Solar do Vinho do Dão, antigo Paço do Fontelo, localizado no sítio que antigamente se chamava Fontanelo, teve a sua origem numa herdade, com o mesmo nome, comprada pelo bispo de Viseu D. Odório, em 1149, a Exemena Mendiz e filhos. Terá sido o bispo D. João Homem, em 1399, que deu início à construção do Paço do Fontelo. D. Garcia leva avante a obra e manda construir a Capela de Santa Marta, por volta de 1426.

Importante foi a intervenção de D. Miguel da Silva que dotou, com melhoramentos, o paço e a quinta e mandou construir magníficos jardins, que tornaram o Paço do Fontelo numa soberba quinta de recreio tipicamente renascentista. D. Gonçalo Pinheiro manda construir, em 1563, a capela de S. Jerónimo. Mandou também construir os pórticos da avenida que vai em direção ao Paço e ainda acabou de murar a Quinta do Fontelo, obre começada por D. Miguel da Silva.

Desde 1810, aquando da terceira invasão francesa, o paço do Fontelo passou a ser a residência permanente dos bispos de Viseu. Em 1912, o Governo da República retira a Quinta do Paço ao último bispo residente, D. António Alves Ferreira. Passa então a quartel e, mais tarde, a cadeia. Depois do 25 de Abril serviu de acolhimento aos retornados das ex-colónias.

Atualmente, pertence à Câmara Municipal, que levou a efeito a obra de requalificação, e é onde se encontra sediada a Comissão Vitivinícola Regional do Dão.

 
Nome: Viriato Teatro Municipal
Descrição:

Palco da Cidade, uma verdadeira casa de artistas! Construído a 13 de Junho de 1883 como nome de “Teatro Boa União”, encerrou após mais de 70 anos de atividade, tendo sido transformado num armazém. Posteriormente adquirido e restaurado pela autarquia, abriu de novo as portas ao público em 1999. Com a recuperação, mantiveram-se as caraterísticas gerais da Sala de Espetáculos, modernizou-se o Palco e restabeleceram-se áreas perdidas e necessárias para o seu bom funcionamento, como a entrada, foyer, bar, sanitários, vestiários, camarins e oficinas. Conseguiram-se algumas áreas complementares que possibilitam uma maior utilização, quer para produção de espetáculos quer para formação. A sala de espetáculos tem uma lotação de 256 lugares sentados, entre plateia, frisas e camarotes, podendo levar até 316 lugares. Dispõe ainda de Bilheteira, um Bar no primeiro andar, uma Mini-Biblioteca, um Espaço Multimédia, um Estúdio de Dança, uma Sala de Ensaios e um Canto de Teatro, decorado com objetos alusivos ao passado histórico do Teatro.

TOPO

Viseu has denoted a notable development in the past years, even though always conserving the historical inheritance in the buildings and customs. 

It is of great value the visit to the main interest points in the historical center, but not less important to contemplate the mission that the autarchy has developed in sensitizing the public (residents and visitors) for the Contemporary Art and Environment. 

Let’s propose a visit to the Contemporary Viseu, a modern and "agitated" city that it known to breach with the constraints  held by the old wall. Today the "wall" is something else: the Road of the Circumvallation, that involves the city and the league between itself:

The different roundabouts that point to this way, have been looked upon by the autarchy, that put upon them great care, and transformed them into authentic narrators of the History of the City, through evocative sculptures but with modern and subjective lines. Some however, are places of "tender" gardens, fondly well-taken cared of and organized.

We initiate this trip through the  "Porta of Viriato", located at the entrance of Nelas. Following in this direction to East, we slow down so that we can observe the statue of "Quatro Elementos", a statue that integrates in its composition the element water, making this a dynamic and pleasant place. Continuing the descent towards the Circumvallation we are confronted with the imponent and allusive statue, our Olympic countryman:Carlos Lopes, personalized in "Maratonista". He dominates the area because for of the grandiosity and the robustness of the lines that organize this composition. The Circumvallation now takes us to the cybernetics roundabout, lived up by colored water spurts and adapting Túnel of Viriato. It is ventured by underground ways and it perceives the magnificence of this workmanship.

When returning to the surface, on the exit for  Sátão, observe with special care and attention the "Rosto of the Fado" roundabout, a clear allusion to the singer of Fados Viseense: Augusto Hilário.

The green of the Fontelo Park, to our left, ambient the ascent until the o cut in the Maria do Céu Mendes Street, that  connects to the Emídio Navarro Avenue, dwelling of the Viriato Theater. At the end, we come across with the boldest contemporary project of this city: Viriato field, where the Multipurpose pavilion is located. It has the advantage to set in front of the Fórum mall of the city, located on the other side of the river...

Português 

Viseu se ha desarrollado muidísimo a la longa de los últimos años, pero siempre respetando la herencia histórica de su arquitectura y sus costumbres.

Una visita a los principales locales de interese del casco antigua es indispensable, sin embargo no podemos no podemos olvidar el importante trabajo que el Ayuntamiento va desarrollando al sensibilizar a la gente ( Viseenses y visitantes ) a propósito del Arte Contemporánea y del Ambiente.

Sugerimos una al “Viseu Contemporánea”, una ciudad moderna y “agitada” que supe romper con los constragimientos impuestos por la antigua muralla.

Hoy “la muralla” es otra: la carretera circular que rodea y une la ciudad:

Las diversas rotundas que hache en esta vía, han sido siempre un objeto de atención del Ayuntamiento – las ha transformado en verdaderas narradores de la historia de la ciudad, poniéndoles esculturas evocativas, con líneas modernas y subjetivas al mismo tiempo. Algunas rotundas, sin embargo, tienen ponitos jardines, bien cuidadas y organizadas.

Empezamos este viaje porla “Puertade Viriato”, que está en salida para Nelas.

Siguiendo en dirección al Este, podemos observar la estatua de los “cuatro Elementos”, integrando en su composición el elemento agua, transforma este espacio en un lugar dinámico y apragible.

Bajando la Circular nos confrontamos con la imponente estatua en homenaje a nuestro coterráneo OlímpicoCarlos Lopes, conocido por “el Maratonista”. Este monumento domine el espacio por su grandiosidad y por la robustez de las líneas que la organizan.

La circular nos lleva hasta la rotunda cibernética, una fuente animada por coloridos chorros de agua, coloreando también el Túnel de Viriato.

Al salir del túnel, mire con especial cuidado la rotunda “Rosto do Fado”, una clara alusión al fadista Viseense Augusto Hilário.

El verde del parque del Fontelo, a nuestra izquierda, embeleza la subida hasta el arrugué dela calle Mariado Céu Mendes, que nos lleva ala Avenida Emídio Navarro.Al final de esta Avenida encontramos el proyecto contemporáneo mas arrojado de Viseu: el Campo de Viriato, donde está el Multiusos.

Aproveche relajar y pose por el Fórum (Centro Comercial) de la ciudad, que está frente al Multiuso, en la otra margen del rio...

Português 

Viseu a remarqué un franc développement ces dernières années, en conservant toujours malgré cela, son héritage historique dans les constructions et les coutumes. 

Il est de grande importance, de visiter les principaux endroits d’intérêts dans le centre historique, mais non moins important, de contempler la mission que l’autarchie a développé en sensibilisant le public (habitants et visiteurs) pour l’Art Contemporain et l’Environnement. 

Nous vous proposons de faire une visite au Viseu contemporain, une ville moderne et « agitée » qui a su rompre avec les contraintes imposées par l’ancienne muraille.

De nos jours, la « muraille » est une autre : la route de la circonvallation, qui englobe la ville et la branche entre elle. 

Les différents ronds-points qui ponctuent cette voie, sont la cible d’une attention de la part de l’autarchie, qui les a transformés avec les plus grands soins, en authentiques narrateurs de l’Histoire de la ville, à travers de sculptures évocatrices avec des traits modernes et subjectifs. Certaines, néanmoins, sont des endroits de tendres jardins, extrêmement soignés et organisés.

Nous commençons ce voyage par la « Porta de Viriato », située à l’entrée de Nelas.

En suivant en direction à l’Est, nous ralentissons pour pouvoir observer la statue des « Quatro elementos » (quatre éléments), une statue qui intègre dans sa composition l’élément eau, transformant cet espace en un local dynamique et plaisant.

Continuant notre descente par la circonvallation, nous sommes confrontés à une imposante statut allusive à notre concitoyen olympique : Carlos Lopes, personnalisé dans le marathonien. Domine l’espace par les grandioses et les robustes lignes qui organisent cette composition.

La circonvallation nous amène maintenant au rond – point cybernétique, animée par des jets colorés d’eau, animant le tunnel de Viriato. Aventurez-vous par des chemins souterrains et appréhendez la magnificence de l’œuvre. 

Lorsque l’on revient à la superficie, à la sortie en direction à Satão, observez attentivement le rond-point « Rosto de Fado » (visage de Fado), une claire allusion au chanteur de Fado originaire de Viseu : Augusto Hilário.

Le vert du Fontelo, à notre gauche, ambiante la montée jusqu’à la coupure à la rue Maria do Céu Mendes, qui nous unie à l’Avenue Emídio Navarro, adresse du Théâtre Viriato. À la fin de cette dernière, nous nous retrouvons avec le plus remarquable projet contemporain de cette ville : Campo Viriato, où demeure le Multiusos de Viseu (pavillon multi usage). 

Profitez pour vous reposer avec une promenade au Forum de la ville, située en face au pavillon multi usage, de l’autre côté de la rivière…

Português 

The Patrimonial value of the city of Viseu is undeniable.

However, the natural wealth that surrounds the city and that is spreads by the whole municipality  is equally worthy of esteem, leading to pleasant moments in the open air.

In the center of the city, the Praça do Rossio (Rossio Square), is surrounded by a combination of natural beauties that leads to a unique peace full atmosphere. Here we find the Aquilino Ribeiro Park, the Tomás Ribeiro Garden and the affectionate Garden of the Mothers (Jardim das Mães).  Descending Formosa Avenue, we find the Santa Cristina Garden, another place of relaxation in the center of the city.

Further ahead, go by Capitão Silva Pereira Avenue and visit the Santo António Garden right before one of the “lungs”  of the city: Cava de Viriato.

We will find then the largest public green area in Viseu: Parque do Fontelo (Fontelo Park).

Near the city, we can also find other interesting places: Quinta da Cruz (S.Salvador), Monte do Crasto (Orgens/Vil de Souto) and Monte de Santa Luzia, where the Quartz Museum is going to be built.

These are some suggestions of places that you can visit…

Places that make Viseu  one of the best places to visit, to find and to live!

Português