Medidas de segurança a tomar na realização de queimadas

Na realização de queimadas, após a realização de corte de matos, corte de silvas e/ou poda de árvores e arbustos, para sua segurança e para segurança do espaço agro-florestal, devem ser tomadas as seguintes precauções:

- No local apenas deverá permanecer o pessoal autorizado e indispensável à realização da queimada;
- Se a queimada for realizada na presença de um técnico credenciado em fogo controlado, será da sua responsabilidade garantir os meios de primeira intervenção contra incêndios suficientes para apagar o fogo em caso de emergência ou por ordem dos agentes fiscalizadores;
- A realização de queimadas é proibida nos terrenos sob a projeção vertical ou vizinhança próxima de cabos elétricos de baixa, média ou alta tensão e de cabos telefónicos;
- Não obstante ter sido emitida a licença, não é permitida a realização de queimadas em dias muito quentes ou com vento forte, devendo as operações ser efetuadas apenas em dias sem vento, com temperaturas baixas a moderadas e humidade relativa alta, isto é, em dias com índice de risco temporal de incêndio reduzido ou moderado;
- No final, deverão ser aspergidos com água os locais das queimadas, de forma a apagar os braseiros, e cavada uma pequena faixa de descontinuidade do combustível ao longo do limite perimetral da área queimada, a fim de se evitarem reacendimentos;

Para além das precauções anteriormente enunciadas, devem ser ainda tidos em consideração os seguintes aspetos:

a) Temperatura do ar – temperaturas elevadas torna os combustíveis mais secos e susceptíveis de entrarem em combustão.

b) Vento – é o responsável pela oxigenação da combustão e arrastamento de faúlhas que poderão provocar focos de incêndio a distâncias consideráveis e pela inclinação das chamas sobre outros combustíveis que não interessam queimar. Evitar realizar a queima num dia de vento, sobretudo se este for de direção variável. O vento não deverá soprar no sentido de zonas de grande acumulação de combustíveis agro-florestais.

c) Declive – evitar a realização de queima de sobrantes de exploração em locais onde o declive seja acentuado. Material incandescente pode libertar-se do amontoado de sobrantes de exploração e rolar encosta abaixo provocando focos de incêndio.

d) Utensílios – utensílios de uso agrícola tais como ancinhos, pás e enxadas ou tratores com alfaias tipo grade de discos poderão ser utilizados para criar o espaço adequado para realizar a queima de sobrantes de exploração, para mais facilmente controlar o amontoado e para auxiliar na extinção final da combustão.