“Academia do Linho” instala-se em Várzea de Calde e desafia petizes a por “mãos na massa”

 

Serviço educativo propõe um programa anual de atividades pedagógicas em torno do ciclo do linho. Primeira atividade arranca já a 12 de julho

Conhecer “in loco” a arte ancestral do linho e participar deste ciclo anual é o desafio que a “Academia do Linho de Várzea de Calde” coloca aos mais pequenos.

A iniciativa, promovida pela Cooperativa do Linho de Várzea de Calde, o Grupo Etnográfico local e as Escolas Superior de Educação e Agrária de Viseu, contando com a parceria e o apoio do Município de Viseu e do seu Museu do Linho de Várzea de Calde, foi hoje apresentada publicamente, no espaço do Museu.

Depois da estreia da “Academia Dão Petiz”, em março de 2015, na qual as crianças viajaram até às quintas vinhateiras do concelho para experienciar o ciclo da vinha, é agora iniciado um novo serviço educativo, desta vez com enfoque no ciclo do linho, direcionado para crianças entre os 6 e 12 anos.

Das quintas para a aldeia de Várzea e os seus campos de linho, mas mantendo o mundo rural como espaço primordial e educativo, os petizes terão oportunidade de assumir diferentes papéis e funções neste processo. Seja na pele de agricultor, repórter ou investigador, o objetivo é por “mãos à obra”, nas várias tarefas que compõem este processo, através de um programa científico-pedagógico, que contempla ainda atividades de cariz cultural.

Ao longo do ano, as meninas e meninos vão poder participar de 5 ações educativas, representativas das fases do linho. O acompanhamento dos vários grupos de crianças será realizado pelos alunos da ESEV e ESAV, assim como pelos professores de ambas as instituições e pelos membros da Cooperativa e do Grupo Etnográfico.

A primeira atividade do ciclo está já agendada para o próximo dia 12 de julho e diz respeito à fase de “Arrancar, Ripar e Curtir” o linho. As restantes ações estão previstas para os meses de setembro (“Maçar e Tascar”) e dezembro (“Assedar e Fiar”) de 2018, prolongando-se ainda por abril (“Urdir e Tecer”) e maio de 2019, mês que encerra o ciclo com o lançar da semente à terra.

A participação na “Academia do Linho” é sujeita a inscrição prévia e tem associado um custo financeiro. Brevemente, serão abertas as inscrições e as mesmas comunicadas no site do Município e respetivas redes sociais.

As ações educativas da “Academia do Linho de Várzea de Calde” têm financiamento ao abrigo da linha “Revitalizar”, do programa municipal VISEU CULTURA.