Executivo Municipal de Viseu reuniu hoje, cumprindo medidas preventivas

Reunião ordinária decorreu sem público, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, devendo passar a modo de videoconferência 

A Câmara Municipal de Viseu reuniu esta quarta-feira, dia 18 de março, em sessão ordinária, com medidas preventivas, designadamente de higienização e distanciamento dos seus titulares no espaço do Salão Nobre. 

A reunião foi antecipada para esta quarta-feira, no âmbito da gestão do estado de alerta municipal e do Plano Municipal de Emergência ativado na passada segunda-feira. Futuras sessões poderão adotar, neste contexto de crise, o sistema de videoconferência. 

O Presidente da Câmara Municipal, António Almeida Henriques, deu conta à Vereação do conjunto das medidas que têm vindo a ser gradualmente implementadas, garantindo, todavia, que o Município continuará a garantir os serviços essenciais à segurança e bem-estar da população, como sejam os de fornecimento de água e saneamento, limpeza urbana e recolha dos resíduos sólidos urbanos, tratamento de jardins, Bombeiros Sapadores e Polícia Municipal, apoio social e informação ao público. 

O Município assegura ainda o funcionamento de estabelecimentos de ensino para receber os filhos até aos 12 anos dos que cumprem trabalhos indispensáveis no combate à crise: médicos, enfermeiros e profissionais de saúde auxiliar, elementos da Proteção Civil, GNR, PSP e trabalhadores do Município em funções de permanência. 

Em paralelo, estão a ser asseguradas as refeições escolares para os mais carenciados, mesmo em período de encerramento das escolas. 

O Executivo Municipal foi unânime quanto à estratégia e ao plano de emergência adotados, assim como sobre a forma serena e transparente como as medidas municipais têm vindo a ser comunicadas e implementadas. 

Dos assuntos que constaram da ordem de trabalhos desta reunião de Câmara, destaque para a aprovação da adjudicação da empreitada de requalificação do Bairro Municipal de Viseu, também conhecido por Bairro da Cadeia. O valor global da empreitada é de cerca de 6,3 milhões de euros e o prazo de execução de 16 meses. 

Este é o culminar de um processo amplamente participado, no qual as 42 famílias que atualmente residem no bairro tiveram uma palavra ativa. Foram também elas as primeiras a conhecer o projeto de requalificação, apresentado em setembro do ano passado, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. 

Na empreitada que agora foi adjudicada, existe a preocupação de uma intervenção estruturada, que reabilite a identidade arquitetónica e social do Bairro, preservando e respeitando a sua memória. 

A empreitada prevê a reabilitação de 81 edifícios - numa área de quase 25 mil metros quadrados -, 42 para atuais moradores, 30 para colocar a concurso para jovens casais (com renda condicionada), um para alojamento temporário de famílias em risco, um para a Casa da Memória e dois para serviços.