Município de Viseu vai estudar os 623 anos da Feira de São Mateus para revitalizar certame histórico

A Câmara Municipal de Viseu aprovou hoje a contratação de um projeto de investigação histórica aos 623 anos da Feira de São Mateus, a mais antiga feira franca viva da Península Ibérica.

O projeto insere-se no objetivo de revitalização do certame mais antigo e mais importante da cidade. A investigação conduzirá à inventariação de documentos relevantes, à elaboração da história e assegurará uma assessoria científica ao projeto de revitalização do evento empreendido pelo Município de Viseu.

O investimento ascende a 75 mil euros e terá a duração de 3 anos.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, “a história da Feira de São Mateus está em grande parte por fazer e de forma completa. Este investimento é decisivo e útil para revitalizar o certame e ajudar a recuperar a sua autenticidade e tradições. Esperamos encontrar na história caminhos de futuro, tornando a nossa Feira cada vez mais atrativa e popular.”

A execução do estudo da responsabilidade da Memória Comum Associação, tendo por coordenadores-gerais e responsáveis científicos os investigadores Rui Macário e Luís Fernandes. Será investigadora associada ao projeto Liliana Castilho, especialista no âmbito em questão.

A investigação abrangerá três grandes blocos de informação: “Da fundação à Contemporaneidade da Feira de São Mateus”; “A Contemporânea Feira de São Mateus”; “As memórias, materializações e vivências decorrentes da Feira de São Mateus”.

Para este projeto, serão realizados trabalhos de arquivo e trabalhos de campo, envolvendo quer a pesquisa de diversos acervos e bibliotecas, assim como na imprensa, alfarrabistas e colecionadores, envolvendo a comunidade.